Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

NAPNE

Publicado: Quarta, 19 de Outubro de 2016, 13h51 | Última atualização em Sexta, 07 de Julho de 2017, 09h32

escada

O NAPNE do campus Serra foi criado em 2008, a partir da percepção de um pequeno grupo de três professores e três servidores administrativos sobre a necessidade de reflexão e ação na área inclusiva no Campus.

Essa motivação surgiu com a chegada de um aluno surdo ao Campus, matriculado no curso Técnico em Informática. Como no Campus até então, não havia ocorrido essa experiência, novos desafios surgiram, como a contratação de intérpretes da Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS para garantir a acessibilidade na comunicação, a adaptação curricular específica e o acesso ao conteúdo integral do curso.

A equipe do NAPNE, composta por professores, assistente social, pedagogas e técnica em enfermagem, aceitou o desafio e aos poucos, se propôs a construir uma nova forma de ver a diversidade, junto a alunos, professores e servidores em geral. Aos poucos, outros integrantes se juntaram ao grupo, como assistentes em administração e psicóloga, que vieram somar às ações desenvolvidas pelo Núcleo.

A aceitação da diversidade e a compreensão que a diferença não é um problema, mas uma oportunidade, cresceu, e assim, surgiram as "Oficinas de LIBRAS" no Campus. O objetivo dessas oficinas é divullgar a LIBRAS e, ao mesmo tempo, contribuir para a sensibilização de todos quanto ao potencial dessas pessoas.

Administradas pelo aluno surdo e intérprete, as Oficinas de LIBRAS sempre contaram com grande participação de alunos e professores do Campus. Até 2010, aconteceram três edições da Oficina.

A partir de 2010, surgiu o projeto "Papeando com os Sinais", com o objetivo de promover o debate e a reflexão sobre a cultura surda, as temáticas da vida cotidiana e a inclusão acadêmica do aluno surdo no Campus. Esse projeto contou com a participação de alunos, professores, intérpretes e pessoas da comunidade surda.

No final de 2010, o NAPNE vive uma situação inusitada com a perda do aluno surdo, que desde o início, foi fonte de inspiração e aprendizado. A trajetória do NAPNE continua em 2011, com muitas páginas ainda a serem escritas no caminho da inclusão. Se você acredita que lutar pela acessibilidade é lutar por igualdade de condições, junte-se a nós!

Além das atividades descritas, muitas outras ações foram desenvolvidas pelo Núcleo. Veja em “Ações do NAPNE”.

Fim do conteúdo da página